Novas Matérias:
recent


Parvovirose sintomas

Saiba quais são os sintomas e como tratar a Parvovirose canina, doença altamente contagiosa e que pode causar a morte do animal.


Cão doente

Conhecida também apenas como Parvo, a Parvovirose é uma doença grave que acomete os cães, sendo causada por um vírus (Parvovírus) e que pode levar o animal a morte. Esta enfermidade pode ocorrer em todos os canídeos, sobretudo, os cães, onde os filhotes (menos de um ano de vida) são os mais atingidos por esta doença infectocontagiosa por serem mais frágeis.

Como é transmitida a parvovirose

Cão tendo contato com fezes
O contágio acontece através do contato direto do cão com fezes, objetos ou alimentos contaminados pelo vírus da doença, o qual ao atingir o trato intestinal do cão infectado, multiplica-se e causam danos ao sistema gastrointestinal. Desta forma, não é necessário que o animal faça a ingestão das fezes, que durante a infecção pode conter mais de um bilhão de vírus por cada colher de chá, basta o cão lamber a pata ou algo que teve contato com estes vírus para contrair a doença.

As vítimas, geralmente, fatais desta doença são os filhotes, principalmente os animais com menos de 6 meses de vida, que por possuírem um sistema imunológico imaturo, não possuem a capacidade de combater o desenvolvimento da doença. O Parvovírus é muito resistente, podendo sobreviver no ambiente por até 6 meses, tornando praticamente impossível eliminá-lo do solo em matar a vegetação. Para ambientes internos ou com solo de piso, lavagens profundas e desinfecção são necessárias para evitar a contaminação de outros animais ou de futuros novos animais.

Os cães contraem a doença normalmente a partir do solo contaminado com restos fecais, onde os primeiros sintomas da Parvovirose começam a aparecer a partir de 4 a 14 dias após a infecção.

Sintomas da Parvovirose canina

Após 4 dias do contato com o vírus, o animal começa a apresentar alguns sintomas devido a manifestação do Parvovírus que pela corrente circulatória, atinge o intestino e medula óssea, causando depressão, letargia (desanimo), diarreia profusa (evoluindo de fezes liquidas para fezes com sangue), vômitos, anorexia, perda de peso e desidratação.
Cão com fezes com sangue

Geralmente, o vômito é um dos primeiros indícios da doença, e pelo fato deste estar relacionado com diferentes problemas, o proprietário acaba adiando a ida a um Médico Veterinário, fazendo com que a doença se desenvolva ainda mais. Por este motivo, ao notar algo diferente em seu animal, procure um profissional qualificado o mais rápido possível para a realização do diagnóstico e tratamento correto.

A febre pode não ocorrer em todos os cães, apesar disso, quando presente pode chegar a temperatura de 41°C. A desidratação deprime e muito a condição do animal, pois o organismo tem sua capacidade de absorver nutrientes é reduzida. Devido à perda de sangue pelas fezes, o animal pode sofrer de anemia, apresentando, desta forma, palidez das mucosas. E em quadros mais severos, pode ocorrer uma infecção bacteriana generalizada, pois as lesões causadas pelos vírus na parede intestinal facilitam a entrada destes agentes no organismo, os quais ganham a corrente sanguínea, podendo colocar em risco o funcionamento de outros órgãos importantes.

As cadelas imunizadas por vacinação passam para seus filhotes alguns anticorpos (defesas internas) a partir do leite materno, o que garante a proteção dos mesmos nas primeiras semanas de vida. No entanto, após este período o cão dependente das suas próprias defesas para combater a infecção.

Contudo, é válido ressaltar que a Parvovirose pode ser confundida com outras doenças devido à semelhança dos sinais clínicos, por este motivo, apenas o Médico Veterinário pode realizar o diagnóstico de forma precisa e iniciar o tratamento ideal.

Como tratar a Parvovirose

Os cães vítimas da Parvovirose desidratam com muita facilita por conta de vômitos e diarreia que resultam em perdas grandes de líquidos, então, é fundamental iniciar o tratamento com fluidoterapia intravenosa (soro) para compensar tais perdas, assim como a administração de medicamentos para cessar os vômitos (antieméticos). Além da reposição de fluidos, eletrólitos e proteínas, o Parvovírus destrói as células da barreira intestinal permitindo que as bactérias atinjam a corrente sanguínea, e com isso é necessário administrar antibióticos para combater esta infecção secundária.

Cão tomando soroEm casos mais graves, deve ser realizada a utilização de expansores plasmáticos ou até mesmo a transfusão sanguínea para evitar o choque hipovolêmico. Ainda, esta doença danifica a medula óssea, local em que são produzidos os glóbulos brancos, reduzindo de forma brusca a quantidade de neutrófilos (um tipo de glóbulos brancos) que são fundamentais para o combate de bactérias ou outros agentes invasores. Essa é disfunção imunitária que na maioria dos casos faz com que os cães morram independentemente do tratamento realizado.

Ao longo do tratamento, o animal deve evitar o contato com outros animais, e devido à perda de apetite, o seu retorno a alimentação deve ser realizada gradativamente e com dieta especial, isto é, com rações de linhas de prescrição que contam com absorção fácil.

Pelo fato de não haver um tratamento específico e de combate ao vírus, o resultado do tratamento depende muito do estado imunológico do animal, além é claro, do estágio da doença e do tempo decorrido até a procura da ajuda médica.

Como prevenir a Parvovirose em cães

A única e simples forma de proteger o seu cão contra o vírus da Parvovirose é através da vacinação, a qual deve seguir o esquema a fim de garantir sua eficácia. Caso não saiba quais vacinas seu cão deve tomar, acesse a nossa matéria especial (clicando aqui) que explica de forma clara quais são e quando devem ser administradas.

Tags: Parvovirose sintomas, Parvovirose tem cura, Parvovirose sintomas iniciais, Parvovirose tratamento, Parvovirose sintomas e tratamento, Parvovirose sintomas cachorro, Parvovirose sintomas cão.




   Autor

Matéria desenvolvida pelo Médico Veterinário Maikon Celestino (CRMV-SP 36.797), formado pela Faculdade Sudoeste Paulista - FSP em 2015, que além de atuar na Clínica Médica e Cirúrgica de Pequenos Animais, cria conteúdo virtual sobre o mundo PET.

SnapChat celestinomaikon
Facebook /maikonveterinario
Instagram /maikon.celestino
Twitter /maikoncelestino




Comnetários




Tecnologia do Blogger.