Novas Matérias:
recent


Dipilidiose em cães e gatos: Sintomas, Diagnóstico e Tratamento

Saiba como diagnosticar, tratar e principalmente, evitar a dipilidiose, doença que acomete cães e gatos.


Dipilidiose em cães e gatos


O Dipylidium caninum é um cestódeo de distribuição mundial que habita o intestino delgado de cães e gatos. São hematófagos, ou seja, se alimentam de sangue e tem a possibilidade (rara) de infectar humanos, portanto, é uma zoonose. Tem como características morfológicos formato achatado e na fase adulta podem atingir de 15 a 20 centímetros, aparelho genital duplo, escoléx (cabeça) com rostelo retrátil com 4 ou 5 fileiras de ganchos de fixação, coloração róseo-amarelada ou esbranquiçada e proglotes que se assemelham com grãos de arroz ou semente de pepino.
Pertence a ordem Cyclophyllidae, família Dipylidiidae, gênero Dipylidium e espécie Dipylidium caninum. A sua forma de infecção se dá através da ingestão de proglótes gravídicas, as quais são eliminadas junto com as fezes ou saem de forma ativa pelo anus. Ainda, a infecção pode ocorrer através da ingestão do hospedeiro intermediário (pulga ou piolho) contendo o parasita ou o ovo.


Clico de vida do Dipylidium caninum

Dipylidium caninum adulto         Desta forma, quando são eliminadas pelas fezes ou de forma ativa pelo anus, as proglotes gravídicas se desintegram no solo liberando as cápsulas ovígeras, que também se desintegram, e por sua vez liberam os ovos. As larvas de pulgas e/ou piolhos ingerem os ovos do parasita presentes no ambiente, onde no organismo do hospedeio intermediário se desenvolvem em larvas cisticercoides.
Na fase adulta, a pulga ou/e piolho contendo as larvas cisticercoides são ingeridas pelo cão ou gato, onde no intestino delgado atingem a forma adulta e se fixando na parede do intestino através da escoléx.


Sinais clínicos e sintomas

O período de incubação, ou seja, período desde a aquisição do parasita até a manifestação da doença é de aproximadamente 2 a 3 semanas. Dentre as alterações intestinais resultantes da infestação de larvas adultas no intestino delgado, incluem enterite (inflamação da mucosa do intestino) e aumento do volume abdominal. Relacionada às alterações comportamentais resultantes da saída de proglotes do ânus em direção ao períneo, podem ocorrer: prurido que leva o coçar em posição de trenó e presença de proglotes nas fezes e na região perineal.


Diagnóstico de Dipiliose em cão e gato

O diagnóstico se dá através da soma da suspeita, levando em consideração a presença dos ectoparasitas e sinais clínicos. Contudo, a confirmação de Dipiliose canina ou felina é feita através do exame croproparasitológico, onde é possível visualizar as prolglotes, cápsulas ovigeras.


Tratamento de Dipylidium caninum

O tratamento é simples, e consiste na administração de vermicidas ou vermífugos, sendo que você pode encontrar diferentes fórmulas no mercado Pet, entretanto, deve estar presente na fórmula o princípio ativo praziquantel, que tem a função de paralisar a musculatura do verme. Como exemplos deste medicamente, você pode encontrar facilmente:
∙Endogard Plus (Vibrac): R$20,30
∙Dontral Plus (Bayer): R$28,80
∙Dontral Gato (Bayer): R$25,80
∙Dontral Puppy (Bayer): R$29,80

Vermicidas para Dipylidium caninum

                Contudo, é importante ressaltar que a melhor fórmula e a repetição do medicamento são recomendadas apenas por um médico veterinário, por este motivo, recorra ao profissional de sua confiança. Ainda referente aos preços, estes valores podem ou não terem sofrido alterações, onde os valores aqui citados são referentes ao mês de maio de 2014.


Como evitar a Dipiliose?

                Para evitar que seus animais de estimação sejam infectados pelo Dipylidium caninum é importante realizar a vermifugação de forma correta como indicada pelo médico veterinário, ainda, tratar os animais infectados, promover higiene ambiental recolhendo as fezes dos animais (cães e gatos) e evitando a presença dos hospedeiros intermediários (pulgas e piolhos).

Tags: Dipilidiose em cães e gatos: Sintomas, Diagnóstico e Tratamento; Dipilidiose em cães; Dipilidiose em gatos; Sintomas Dipilidiose; Diagnóstico Dipilidiose; Tratamento Dipilidiose.




   Autor

Matéria desenvolvida pelo Médico Veterinário Maikon Celestino (CRMV-SP 36.797), formado pela Faculdade Sudoeste Paulista - FSP em 2015, que além de atuar na Clínica Médica e Cirúrgica de Pequenos Animais, cria conteúdo virtual sobre o mundo PET.

SnapChat celestinomaikon
Facebook /maikonveterinario
Instagram /maikon.celestino
Twitter /maikoncelestino




Comnetários




Tecnologia do Blogger.