Novas Matérias:
recent


Vacina contra raiva canina


Saiba todas as informações importantes relacionadas a doença e a vacina contra a raiva, e proteja seu animal de estimação!


A raiva não se refere apenas ao comportamento do animal contaminado com a doença que leva o nome, enfermidade esta que pode atingir humanos e animais domésticos, e que pode ser fatal para ambos. Desta forma, a adesão da população para com as campanhas de vacinação antirrábica é de grande importância para manter os municípios livres da disseminação da raiva tanto em humanos quanto em cães e gatos. Apesar de a raiva estar controlada em tais espécies, isso não oferece a isenção da vacinação anual, que além de ser obrigatória por lei, é o fator de controle e manutenção da doença.
O proprietário do animal, seja cão ou gato, é responsável por armazenar de forma segura a carteirinha de vacinação do mesmo, pois em casos de mordedura, o cartão é um comprovante ou documento que atesta a vacinação contra a raiva.


Como a raiva é transmitida?

A raiva é mais comum em cães em relação aos outros mamíferos, sendo que colocando em práticas alguns cuidados importantes você pode manter seu animal de estimação livre da doença. O causado da doença da raiva é o vírus pertencente à família Rhabdoviridae do gênero Lyssavirus, o qual ataca e acomete o sistema nervoso central, incluindo cérebro, cerebelo, medula espinhal e os sentidos do organismo, como olfato, visão, paladar, tato, audição, pressão e temperatura. Desta forma, a raiva proporciona diferentes sintomas que alteram o comportamento e coordenação do animal, e é importante ressaltar que a raiva atinge apenas os mamíferos.


A raiva é causada por um vírus, e por este motivo, trata-se de uma doença infectocontagiosa, onde a transmissão se dá através da mordida do animal infectado. É na saliva em que se encontra o vírus, e por este motivo sua principal forma de transmissão é pela mordida e também lambedura em feridas abertas, arranhões e mucosas. Dentre as outras formas de transmissão da raiva, encontram-se contato entre a placenta da mãe e bebê, via inalatória, aleitamento e em transplante de córnea.


Sintomas da raiva

Os principais sinais clínicos da raiva são: perda de apetite, alterações de comportamento, agitação e agressividade, sendo estes os primeiros, seguidos de agitação, agressividade extrema, falta de coordenação motora, paralisia de músculos da deglutição e da mandíbula que resulta em salivação e dificuldade em deglutir. Caso seu animal de estimação apresente alguns destes sintomas, procure um médico veterinário o quanto antes para iniciar o tratamento o mais rápido possível, já que em questão de onze dias seu animal pode vir a óbito.

Em humanos, os sintomas da raiva são: paralisia de membros inferiores e que logo se estende por todo o corpo, agitação, depressão mental, sensação de mal-estar, salivação intensa, febre, contrações dolorosas da garganta e do aparelho vocal.


Tratamento

A raiva é uma doença que não possui cura, desta forma, os animais de estimação infectados pelo vírus geralmente vem a óbito. Para as pessoas, quando o diagnóstico para a raiva é positivo a medida realizada é a vacinação contra a raiva canina, a denominada de antirrábica.


Prevenção da doença da raiva

A única forma de profilaxia da raiva é pelo método preventivo, ou seja, vacinação anual de seu animal de estimação. Por este motivo, participe todos os anos da campanha de vacina antirrábica e proteja seu cão ou gato desta doença letal.

Tags: Vacina contra raiva canina, Vacina antirrábica canina, Vacina contra raiva em cães, Vacina contra raiva em gatos, Vacinação contra raiva canina, Como prevenir a raiva em cães.




   Autor

Matéria desenvolvida pelo Médico Veterinário Maikon Celestino (CRMV-SP 36.797), formado pela Faculdade Sudoeste Paulista - FSP em 2015, que além de atuar na Clínica Médica e Cirúrgica de Pequenos Animais, cria conteúdo virtual sobre o mundo PET.

SnapChat celestinomaikon
Facebook /maikonveterinario
Instagram /maikon.celestino
Twitter /maikoncelestino




Comnetários




Tecnologia do Blogger.